FDA Approved

Novas espécies de agentes patogénicos podem causar mais infeções graves e ter maior resistência a antimicrobianos, e isso é um problema grave de saúde a nível mundial. Lutar contra estes agentes patogénicos requer esforços concertados a vários níveis. Os microbiologistas têm um papel fundamental no que diz respeito a fornecer a identificação rápida aos clientes para iniciar e monitorizar o tratamento apropriado. A bioMérieux está empenhada em manter-se ao corrente das novas ameaças, fornecendo as ferramentas de diagnóstico que os microbiologistas necessitam.

Candida auris é um desses agentes patogénicos emergentes. Descrito, pela primeira vez, há 8 anos no Japão, C. auris propagou-se rapidamente no mundo inteiro. Esta levedura, que é multirresistente a vários antimicrobianos, está frequentemente envolvida em infeções invasivas, incluindo lesões, infeções do trato urinário e da corrente sanguínea. Os pacientes que foram submetidos a uma cirurgia recente, que tiveram cateteres venosos centrais, ou foram hospitalizados por longos períodos, bem como os que têm diabetes, estão particularmente em risco. Uma vez que se espalha facilmente e transmite  os seus clones tanto intra como inter-hospitalar, é considerada um agente de alto risco em surtos de infeções associadas aos cuidados de saúde.

“Deparamo-nos com infeções por Candida auris [no mundo inteiro] que são difíceis de tratar e controlar,” declarou Dr. Alexandre Alanio, Micologista MD Ph.D. do Hospital Saint Louis em Paris, numa recente entrevista no ECCMID 2017, em Viena. “Algumas estirpes [Candida auris] são resistentes a muitos medicamentos antigúngicos – alguns três antifúngicos. Não vimos isto com outras espécies de Candida.”

Para evitar o tratamento inapropriado e o surto da infeção, é importante investigar melhor se tiver alguma dúvida sobre uma Candida. “Fique curioso quando detetar uma Candida que não é capaz de identificar completamente,” declarou Dr. Alanio.

Candida auris frequentemente passa despercebida nos laboratórios de microbiologia em rotina, porque os sistemas de identificação comercializados não identificam a maior parte dos isolados C. haemulonii1. Assim, os métodos especializados de Laboratório são necessários para identificar com exatidão C. auris.

Para responder a esta necessidade de identificação urgente, a bioMérieux tem agora dois sistemas que contêm algoritmos de identificação para C. auris nas suas bases de dados, o VITEK® MS RUO (é necessária a atualização de software Sacchromycetales) e o software mais recente de VITEK® 2(versão 8.01 – em processo de actualização em Portugal). A próxima atualização de base de dados para o software VITEK® MS IVD (v3.2) também irá conter estas espécies.

Veja a entrevista da bioMérieux com o Dr. Alanio para saber mais sobre C. auris:


[1] . Kathuria et. al. “Multidrug-Resistant Candida auris Misidentified as Candida haemulonii: Characterization by Matrix-Assisted Laser Desorption Ionization–Time of Flight Mass Spectrometry and DNA Sequencing and Its Antifungal Susceptibility Profile Variability by Vitek 2, CLSI Broth Microdilution, and Etest Method.” Clin. Microbiol. June 2015 vol. 53 no. 6 1823-1830